BLOG DO COVEIRO

Contatos: wenddel_cocal@hotmail.com Fone/WhatsApp: (86) 99972-6801.

sábado, 10 de novembro de 2018

Comissão Patrimonial inicia os trabalhos de proteção à Igreja de Frecheiras em Cocal-PI

Igreja de Frecheiras em Cocal-PI/Imagem: Evaldo Neres
A Prefeitura de Cocal iniciou os trabalhos de proteção à Igreja de Frecheiras, através da Comissão Patrimonial, criada a partir da lei 495/2010, que instituiu o sistema de Tombamento do Patrimônio Histórico e Natural do Município de Cocal, e criou o Conselho Consultivo Municipal do Patrimônio Cultural e Natural de Cocal- CONSPAC. 


Ainda em fase de formação, o representante legal do conselho, o historiador e professor, João Passos, responsável pelas pesquisas sobre o templo, a igreja de Nossa Senhora do Rosário, na localidade Frecheiras, município de Cocal, observou a necessidade urgente de iniciar os trabalhos referentes à limpeza e preservação do respectivo bem. Embasado pelo documento de informação técnica do IPHAN, n° 038/10, referente à análise do estado de conservação, e a necessidade de se tomar algumas medidas para salvaguardar o bem patrimonial pela municipalidade.


O templo preserva características de vários estilos de época, sendo o mais acentuado, a presença primária de características Jesuíticas, o que leva a crer sua importância para a História do Brasil.

Alguns historiadores defendem sua construção do século XVI, colocando-a como uma das mais antigas do Brasil. Um elo perdido no tempo. Existem documentos do período colonial que já cita o sítio e a igreja como local venerado por viajantes e aventureiros.


Tendo em vista a importância histórica dessa igreja para o conhecimento da ocupação do Piauí, e o acautelamento por parte do Estado e da União, a prefeitura municipal de Cocal iniciou os trabalhos de proteção ao respectivo templo.

A primeira medida foi reunir os moradores da localidade e explicar a importância da preservação do templo, e em seguida iniciar os trabalhos técnicos. 


A segunda fase Iniciou com os trabalhos de limpeza, extermínios de pragas existentes na madeira do teto da Igreja.  Esta fase consistiu em eliminar os focos de cupins, fungos e traças que infestavam o local.  As atividades consistiram em limpeza com jatos de fogo e aplicação de inseticidas.

A terceira fase será a restauração e o tombamento do templo.

Por: Evaldo Neres/ Portal Estado Piauí

Nenhum comentário:

Postar um comentário