BLOG DO COVEIRO

Contatos: wenddel_cocal@hotmail.com Fone/WhatsApp: (86) 99972-6801.

quinta-feira, 9 de maio de 2019

Assista as reportagens dessa quinta-feira (09) sobre o caso dos assaltante de bancos mortos no PI

Um criminoso mineiro identificado apenas como Raimundo foi morto durante um confronto com a polícia na manhã desta quinta-feira (09) no sítio Mangaratiba, situado na BR 343, zona leste de Teresina. Ele é acusado de participar da quadrilha responsável por explodir e roubar as agências do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal em Campo Maior no dia 30 de abril deste ano. 


Raimundo estava sendo procurado pela polícia desde a manhã da quarta-feira (08), quando foi deflagrada uma operação integrada da Polícia Rodoviária Federal, Polícia Civil do Piauí, Polícia Militar e Guarda-Civil Municipal de Teresina. 


Com ele, foram apreendidos arma de fogo e dinheiro. O material foi levado para o Grupo de Repressão ao Crime Organizado (GRECO). 

Perseguição 

Tudo começou quando os policiais receberam a informação de que uma dupla havia feito cinco pessoas reféns na cidade de Barras e teriam como destino à capital. Os agentes, então, iniciaram um acompanhamento tático desde o posto da Polícia Rodoviária Federal em Campo Maior, até o posto de Altos, onde os criminosos foram interceptados. Na abordagem, os bandidos liberaram os reféns, mas conseguiram fugir. 


O Grupo de Repressão ao Crime Organizado (GRECO) divulgou na tarde de ontem a foto de Raimundo e de um outro assaltante de banco que também está foragido, identificado como Marcelo “Negão”. Os dois se dividiram e, na manhã de hoje, um caseiro do sítio Mangaratiba entrou com contato com a PM informando que um homem estranho estaria na região.


Ele haveria pedido comida e água ao caseiro e oferecido dinheiro em troca. Porém, o caseiro não aceitou a quantia, mas foi buscar os mantimentos. Ao ouvir o barulho da viatura policial, Raimundo fugiu. Os policiais montaram um cerco afim de capturá-lo. Em entrevista ao GP1 o Coronel Márcio Oliveira, coordenador geral de operações da PM explicou a ação.

“Fechamos mais o cerco na entrada próximo ao sítio Mangaratiba e as equipes operacionais especializadas nesse tipo de busca e captura na mata do Bope, do DOE, da Polícia Civil e do NOE da Polícia Rodoviária Federal adentraram a mata e ficaram rastreando o caminho que ele poderia ter feito enquanto outras equipes da Rone, do Choque Montado, do 8º Batalhão foram importantíssimas na questão de fechar o certo para que ele não atravessasse o local e passasse para outro sítio”, explicou.

Bandido reagiu 

O coronel contou que ao ser dada voz de prisão ao bandido, ele revidou atirando contra os policias. Raimundo foi o nono assaltante a ser morto pela polícia. 


“Infelizmente, como o restante da quadrilha, ao ser dada voz de prisão a ele, ele reagiu atirando contra os policiais. Os policiais não tiveram outra escolha a não ser neutralizar. Até o momento temos nove assaltantes neutralizados, seis presos e um foragido em Teresina, o Marcelo Negão e mais um na área de Cocal. Vamos continuar as diligências até que a gente possa prender todos os integrantes dessa quadrilha”, disse. 

Buscas continuam

De acordo com o coordenador do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (GRECO), delegado Tales Gomes, as buscas continuam com a finalidade de prender Marcelo Negão e um outro suspeito que se encontra na região de Cocal. 

“Exatamente, nós vamos intensificar as buscas a fim de capturar o Marcelo Negão, que é um dos líderes desse bando que fez esses assaltos em Campo Maior. Nós temos informações também de um sujeito na região de Cocal, já pedimos o auxílio de Parnaíba, a fim de capturar esse sujeito lá, ele inclusive estaria entrando em algumas residências pedindo água e comida”, revelou.

PM recupera carro roubado próximo a casa usada para planejar os roubos a bancos em Campo Maior

Uma casa foi encontrada no povoado Lagoa do Sítio, na zona rural do município de Valença do Piauí (234 km de Teresina) e a polícia acredita que pode ter sido usada como base da quadrilha que assaltou as agências bancária de Campo Maior, roubando R$ 229 mil. No local também foi encontrado um carro roubado, de origem de Teresina.


Conforme o sargento Ranier, o serviço de inteligência da Força Tática de Valença conseguiu localizar o local entre os municípios de São João da Canabrava e Lagoa do Sítio e recuperar um veículo que foi roubado pelo chefe da quadrilha, Antônio Paulo de França, no início do mês de março, em um supermercado na zona leste da Capital.


"Através do serviço de inteligência da Força Tática de Valença, localizamos a residência onde os bandidos se hospedaram e planejaram toda a ação foi planejada a qual fica na localidade Sítio Velho, zona rural entre os municípios de São João da Canabrava e Lagoa do Sítio. Depois entramos no matagal e encontramos o Corolla que foi roubado em Teresina em um estacionamento", informou o sargento.


Ainda de acordo com o sargento, fora do veículo os policiais encontraram maçarico, solda, bateria e demais instrumentos utilizados para abrir cofres e potencializar a ação do explosivo. O veículo foi levado para a Delegacia de Valença e posteriormente será encaminhado à sede do Greco em Teresina.

Fonte: Portal GP1

Assaltante de banco diz que PMs do Ceará ficaram com o dinheiro durante sua prisão em Chaval-CE

Um dos acusados de participação na explosão e roubo a dois bancos na cidade de Campo Maior, em depoimento, fez grave acusação a policiais do Ceará que participaram da operação para prender os responsáveis pelo crime. Ele afirmou que os militares ficaram com mais de R$ 13 mil roubados das duas agências.


O delegado da Polícia Civil do Piauí, Laércio Evangelista, que faz parte da equipe que coordena investigações do crime, confirmou a delação, mas ressaltou que a informação passada pelo preso, identificado como Pedro Henrique, não procede.

“Não procede. Ainda está sendo investigado. Ele deu o depoimento, mas ainda não tem nada confirmado. O que ele falou não importa muito. Ele contou várias estórias, várias versões. [Ele] Não falou com firmeza não”, garantiu o delegado.


Pedro Henrique foi um dos presos na região de Cocal, Norte do Piauí. Ele foi capturado em uma barreira policial na divisa do Piauí com o Ceará. Armado com um fuzil, o homem, segundo a polícia, invadiu uma casa no município de Cocal e fez os moradores da residência de refém.

Fonte: Portal AZ

Nenhum comentário:

Postar um comentário