quinta-feira, 30 de janeiro de 2020

Tia diz que cocalense, esposa e filho foram mortos por causa de herança


Com exclusividade para a Rede Meio Norte, Francisca de Sousa, tia do piauiense Romuyuki Veras Gonçalves, morto carbonizado com sua família no interior de um veículo, em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, falou com mais detalhes sobre o caso e a relação da família. Segundo ela, o que teria motivado o crime, seria herança. A  esposa, Flaviana Gonçalves, de 45 anos, natural do Estado de Minas Gerais; e o filho do casal, o jovem Ruan Vitor Gonçalves, de 15 anos, também foram as vítimas no crime, que chocou o país, sendo comparado até com o caso de Suzane Richthofen.


"Ele era um menino muito bom, trabalhador. Ele gostava demais dessa filha dele. Os dois filhos eram os bens que ele tinha na vida", disse Francisca sobre Romuylki Veras, muito emocionada em depoimento. 

Na tarde desta quarta-feira (29), a Justiça de São Bernardo do Campo decretou a prisão temporária dos principais suspeitos do crime, que seriam a filha Ana Flávia Gonçalves, de 24 anos, e a companheira dela, Carina Ramos, 31 anos.

O casal é suspeito de ter matado os pais e o irmão de Ana Flávia. As duas foram presas quando estavam a caminho do escritório de um advogado. A Polícia Científica fez a perícia no veículo e, de acordo com um laudo preliminar do Instituto Médico Legal (IML), aponta que a família teria sido morta em decorrência de pancadas na cabeça. A informação foi confirmada pela polícia.

No entanto, para a tia, no caso há mais pessoas envolvidas. "A gente nunca imaginou que na nossa família ia acontecer um caso desses, eu creio que foi induzida por aquela bandida que está com ela, mas não foi só as duas que fizeram isso ai não, tem mais gente no meio, elas não tinham capacidade de fazer isso tudo sozinha não", afirma Francisca de Sousa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário