terça-feira, 3 de março de 2020

Cocalense é morta a facadas por primo de esposo em Luziânia-GO; Marido é suspeito de ser o mandante

A cocalense Antônia Lucia Nascimento Silva, de 32 anos, morreu momentos depois de ser esfaqueada por um primo de seu marido, crime supostamente praticado a mando do próprio esposo da vitima, identificado como José Elísio Nobre Leal, de 35 anos. O fato ocorreu na madrugada desta segunda-feira (02/03), no município de Luziânia, em Goiás, região Leste do entorno do Distrito Federal. 

Marido, suspeito de ser o mandante do crime e a sua esposa, vítima. 
Segundo testemunhas, algumas pessoas que estavam na região ouviram a mulher pedindo ajuda e a encontraram ferida no chão da sala de casa, ao lado do esposo, que parecia estar dormindo. Conforme relato da Polícia Militar, a vítima ainda estava consciente e disse ter sido esfaqueada pelo primo do esposo a mando do próprio marido.


A mulher foi socorrida e levada à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Jardim Ingá, mas não resistiu aos ferimentos e morreu cerca de 40 minutos após chegar ao local.

Diante da suspeita, José Elísio foi levado em flagrante pelos policiais militares e autuado pelo homicídio da esposa. Na delegacia, o suspeito permaneceu em silêncio e não respondeu aos questionamentos do delegado Rafael Abrão, que pretende reinquiri-lo para ouvir a versão do acusado sobre o crime.


De acordo com a entrevista do delegado Rafael Abrão concedida a TV Anhanguera, o marido e outros dois primos passaram o domingo (01/03) inteiro ingerindo bebida alcoólica e acredita-se que também usando entorpecentes até a mulher chegar em casa. “Quando a esposa chegou à noite, teria achado a situação ruim e os dois discutiram. Ambos já estavam brigados havia algum tempo e acabou acontecendo a agressão”, contou.


"Ao que tudo indica, eles [casal] já tinham um problema, algo ligado a traição ou a uma discussão entre os dois por causa do excessivo consumo de álcool e drogas dentro de casa. Os dois primos foram identificados, mas ainda não foram encontrados", reitera o delegado.

Abrão acredita ainda que a mulher ainda foi agredida a socos, chutes, pedradas e até mesmo facadas dos três homens presentes na casa, mas ainda não é possível precisar qual foi a causa da morte da mulher. "A gente precisa esperar os laudos periciais para saber qual foi o golpe fatal", finaliza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário